Bebê ferido em ataque segue em recuperação sem previsão de alta

Autor do ataque deixou UTI

Internado no Hospital da Criança de Chapecó, no Oeste catarinense, o único sobrevivente ferido no ataque a creche em Saudades, apresentou melhoras e tem quadro de saúde estável. O hospital não informou previsão de alta para o bebê de 1 ano e 8 meses, que se recupera dos ferimentos.

Veja quem são as vítimas do atentado

Segundo o pai do menino, Diego Hübler, foi tirado o dreno do pulmão de Henryque nesta sexta-feira (7). Na foto compartilhada pelo pai com o menino se recuperando, tem um cartaz fixado na parede próximo ao leito da enfermaria que diz: “Você é um guerreiro”.

Foto: Diego Hübler/Arquivo pessoal
Foto: Diego Hübler/Arquivo pessoal

“Primeiramente, [queria] agradecer a todas as pessoas que estão orando pelo Henryque e pelos pais e familiares que perderam seus filhos […] obrigado a todos”, afirmou Hübler.

O único sobrevivente vive uma verdadeira batalha desde o atentado, que deixou cinco pessoas mortas na terça-feira (4). Com ferimentos provocados por golpes de facão na bochecha, lábios, barriga e uma perfuração em um dos pulmões, ele foi levado no carro por um aposentado e uma professora, que são vizinhos da creche.

“O médico falou que, se nós tivéssemos esperado dez minutos até que os bombeiros chegassem, a criança não iria se salvar”, contou o aposentado Ailton Biazebeti.

Bebê ferido no ataque a creche em Saudades segue em recuperação

O menino chegou em estado grave no hospital de Pinhalzinho e depois foi encaminhado para Chapecó, onde segue hospitalizado. Henryque já passou por uma cirurgia e chegou a ficar na Unidade de Terapia Intensiva (UTI).

“Ele está no quarto e agora é o processo de recuperação, vai levar alguns dias. Mas, graças a Deus, está correndo tudo bem. Temos que agradecer a todo o pessoal que está orando, que continue orando. Também peço que continuem e orem pelas famílias que perderam seus filhos”, disse o pai do bebê após a alta da UTI, na quinta (6).

Autor do ataque deixou UTI

O autor do atentado à escola infantil Pró-Infância Aquarela, de 18 anos, também está internado no Hospital Regional do Oeste. De acordo com a unidade de saúde, no boletim médico divulgado nesta noite, ele recebeu alta da UTI na tarde desta sexta (7). O estado de saúde é considerado estável e foi retirada a sedação por completo.

“Apresenta-se atualmente com drenos essenciais e cânula de traqueostomia, com previsões de serem retirados nos próximos dias”, informou a unidade de saúde. Ele passou por duas cirurgias.

Após o ataque, o homem desferiu golpes contra o próprio corpo e foi encaminhado em estado gravíssimo ao Hospital em Pinhalzinho e, depois, ele foi transferido para a cidade vizinha. A Polícia Civil aguarda a recuperação do jovem para fazer o interrogatório com objetivo de descobrir a motivação do crime.

A prefeitura de Saudades se reuniu na quinta-feira (6) com autoridades para discutir ações de segurança e apoio psicológico para a população da cidade. Segundo a administração, houve a reivindicação de um maior efetivo da Polícia Militar para atender o município. Também foi definido que as as aulas no município ficam suspensas até o dia 14 de maio. O decreto foi publicado nesta sexta-feira (7).

O que a polícia já apurou

A Polícia Civil ouviu mais de 10 testemunhas na investigação sobre o ataque a creche em Saudades até ontem. O delegado Jerônimo Marçal Ferreira afirmou que autor do crime, Fabiano Kipper Mai de 18 anos, será ouvido assim que o estado de saúde dele permitir.

O autor está internado em UTI no Hospital Regional do Oeste, em Chapecó. Segundo o boletim médico da noite de ontem, ele passou por duas cirurgias e está se recuperando.

Enquanto isso a Polícia Civil analisa os dois computadores e um pen drive encontrados na casa do autor do ataque. A autorização para investigar os dispositivos foi obtida pela Justiça na quarta-feira (5).

Estão sendo investigados e-mails, mensagens trocadas e outras interações que o jovem possa ter feito em redes sociais e fóruns.

Após coletar depoimentos dos familiares e analisar informações do celular do autor, Marçal diz que está “conseguindo montar o perfil dele” e a Polícia Civil está “caminhando para descobrir uma motivação”.

O delegado Jerônimo Marçal já havia dito que o jovem é “um rapaz problemático” que, segundo a família, passava muito tempo no quarto jogando games violentos e sofria bullying na escola.

Logo depois que o jovem cometeu os ataques, ele teria dito para pessoas que estavam no local que seu objetivo era invadir a escola Escola de Educação Básica Rodrigues Alves, onde estudava até o ano passado.

Testemunhas relataram ao delegado que, após cometer os crimes, o jovem de 18 anos teria dito que planejava o atentado há 10 meses. Ele também teria usado rojões para assustar as pessoas no local.

Um dos bombeiros que atendeu Fabiano, disse que durante a condução ao hospital o autor do crime olhava em direção a arma que utilizou e falava “cuida bem dela tá, ela é minha amiga”. Ele também perguntava quantas vítimas tinha feito, como se houvesse alguma meta. O jovem ainda teria dito que tentou comprar uma arma de fogo, mas como não conseguiu adquiriu as facas que utilizou no atentado.

Fonte: G1 SC/Rádio Centro Oeste/ND Mais