AvaíKindermann anuncia lista das 22 atletas que chegam para o Brasileirão

O Avaí/Kindermann anunciou no final da tarde desta quinta-feira (13) a lista completa com os nomes das 22 atletas contratadas para a disputa do Campeonato Brasileiro Feminino, que acontece a partir de março. Pela manhã, haviam sido divulgados três novos nomes, acrescidos a uma lista de seis atletas que ja haviam sido confirmadas na semana passada. De acordo com o diretor de futebol Jonas Estêvão, a lista ainda não está finalizada, sendo que pelo menos outras três atletas seguem em negociação e podem desembarcar em Santa Catarina até a data prevista para a apresentação do grupo, em Caçador, no dia 24 de janeiro.

Entre os novos nomes que ainda não haviam sido confirmados, a principal contratação foi a atacante Michelle Carioca, de 31 anos, que estava no Ceará. Em 13 anos de carreira, Michele tem em seu currículo 130 jogos oficiais e 46 gols marcados, em passagens por clubes como Flamengo e Ferroviária.

Outra novidade é a goleira Maike, que é sobrinha da ex-goleira catarinense Maravilha, ídolo da seleção brasileira nos anos 80 e 90. Maike esteve afastada do futebol brasileiro, após ser punida por dopping. A goleira utilizou um medicamento para emagrecer proibido pelas regras da CBF.

Do grupo de atletas mantido pelo Avaí/Kindermann até o ano passado, com a disputa de duas Copas Libertadores numa mesma temporada em função da pandemia, duas confirmaram seu retorno a Caçador: a meia Vilma, que já havia sido anunciada pela manhã, e a zagueira Siméia, líder dentro e fora do campo que confirmou seu retorno ao clube.

Goleiras
Maike, Renata e Bia Nicoletti

Laterais
Suyane, Raquelzinha, Tayane Belarmino e Vitoria Kaissa

Zagueiras
Rute Deveza, Laila, Jiselle Lacerda, Siméia e Flavia Gil.

Volantes
Dani Venturini, Jessica Ketleen, Gilmara

Meias
Luana Marques, Vilma, Kamilla

Atacantes
Roqueline, Victoria Talita, Fabíola Sandoval e Michelle Carioca.

Goleiras:
Maike Lizabet Weber, 29 anos, goleira que já havia vestido a camisa do Kindermann em 2014 e 2015. Com 1,73m de altura, Maike se notabilizou na Libertadores de 2018, pelo Iranduba, seu último clube. Depois de começar como profissional no Volta Redonda, Maike também chegou a jogar na Ferroviária e Flamengo. Em Portugal, ela jogou no Paio Pires, Valadares Gaia e Braga.

Maike é sobrinha da ex-goleira da seleção brasileira, a catarinense Maravilha, atual treinadora de goleiras da seleção. Em 2019, Maike foi pega no antidoping, após usar um medicamento para emagrecer. Punida pela CBF, ela ficou sem jogar até agosto de 2021.

Renata Bruna Ferreira da Silva, de 25 anos, 1,77m de altura, que estava no Santiago Morning, vice-campeão chileno. Renata começou no pequeno Manchester (MG), seguindo depois para o Atlético Mineiro e Vitória, até ir para o Chile.

Beatriz Bueno Nicoleti, goleira, 19 anos, natural de Americana (SP). Jogou na Chapecoense, Centro Olímpico, Tiger Academia, Juventrus (SP), Santos e Pinda.

Laterais:
Suyanne Tereza Laurindo Rodrigues, 23 anos, lateral que atua nos dois lados, estava no Fortaleza, do Ceará. Suyane começou no Menina Olímpica, e também se destacou no Tiradentes, principal clube feminino do Piauí, além da dupla Ceará e Fortaleza.

Raquel dos Santos Santiago, 35 anos, a Raquelzinha, lateral direita, 1,57m. Natural de Fortaleza (CE), retorna ao Avaí/Kindermann, onde atuou em 2014, quando disputou 14 jogos pelas Caçadoras, marcando um gol. Estava agora no Flamengo desde 2017, onde atuou em 60 jogos oficiais em cinco temporadas, marcando seis gols. Raquelzinha começou no Futsal, no Nacional Gás, de onde foi levada para o Santos e integrou o supertime das Sereias de 2008 a 2011. Também atuou no Centro Olímpico, Vitória das Tabocas (PE) e São José. Também pode atuar na meia direita, conforme a necessidade da equipe.

Tayane Fabiano Belarmino, 22 anos, lateral esquerda, 1,68m.  Natural de Valença (RJ), estava no Bahia. Começou a carreira na Francana (SP), e passou pelo São José, atée chegar no Bahia, em 2020, ano em que sofreu uma entorse no joelho, com rompimento de LCA.

Vitoria Kaissa da Silva Nascimento, 20 anos, lateral esquerda, natural de Fortaleza (CE). Estava no Grêmio, onde atuou em 10 partidas no ano passado. Começou no Anjos do Céu, em 2017. Depois, jogou também no São Gonçalo (CE), Tiradentes (CE) e Cresspom (DF), atpe chegar no Palmeiras, no final de 2018, onde permaneceu até 2020. No Palmeiras, atuou em 39 jogos, marcando quatro gols.

Zagueiras:
Rute Gonçalves Deveza, 21 anos, zagueira, 1,74m. Natural de Salvador, vem do Bahia, onde atuou em 2021, após cinco temporadas no rivall Vitória. Em 2020, disputou pelo 3B da Amazônia. Em 2019, quando atuava no Vitória, foi convocada para a seleção brasileira sub 20 pelo técnico Jonas Urias.

Jiselle Lacerda dos Santos Souza, 24 anos, zagueira, 1,75m. Veio do Ceará. Natural de Duque de Caxias (RJ), começou na escolinha do Team Chicago Brasil, depois passou por Vasco (RJ), Vitória das Tabocas (PE), Duque de Caxias (RJ), Atlético Mineiro, FK Zhytlobud (Ucrânia), São José e Ceará.

Laila Camarão de Oliveira, a Lailão, 21 anos, zagueira, 1,83m, veio do Pelotas (RS). 1,83cm. Jogou no João Emílio, da cidade gaúcha de Candiota, depois no Minas Brasília, Brasil de Farroupilha e Pelotas.

Simeia Alves da Silva, 34 anos, zagueira, natural de Jundiaí (SP). Atuou por três temporadas no Avaí/Kindermann, onde se transformou numa das principais lideranças do grupo, dentro e fora de campo.  Com a indefinição sobre a continuidade do projeto, foi no final do ano passado para o 3B da Amazônia, onde conquistou o campeonato amazonense. Com a retomada da parceria em Caçador, Simeia está de volta para comandar o time. Simeia começou no Tiradentes (PI), depois passou pelo Picos, atpe chegar ao Rio Preto, onde por quatro anos fez parte de uma era vitoriosa no clube, já extinto. Até chegar no Kindermann, em 2018.
Oficialmente, tem 138 jogos oficiais na carreira, com 12 gols marcados, a maioria de cabeça.

Flávia de Cassia Gil Riboura, 31 anos, zagueira, 1,71m de altura, passou por Caçador (SC) em 2018, quanto atuou no Nápoli e também no próprio Avaí/Kindermann, onde disputou 12 partidas e marcou um gol. Seu último clube foi o Atlético Mineiro, onde foi campeã mineira em 2021. Natural de São José dos Campos, começou no São Caetano, em 2013, indo depois para o Vitória das Tabocas (PE), Flamengo, Cresspom (DF), Ferroviária, São José (SP), 3B da Amazônia, Internacional e Atlético Mineiro.

Volantes:
Daniela Venturini, 24 anos, zagueira, 1,72m. Natural de Três Coroas, no Rio Grande do Sul, estava no Kellen, da Hungria. Após um início nas categoreias de base do Grêmio, Dani iniciou carreira profissional no Criciúma, onde atuou por quatro anos. Defendendo também uma Universidade no Sul do Estado, se formou em Direito, mas preferiu seguir no futebol profissional e deixar a advocacia para depois. Antes de ir parar na Hungria, Dani teve uma rápida passagem pelo Real Ariquemes, de Rondônia.

Jessica Ketllen, de 24 anos, que jogou o campeonato catarinense pelo Açores, de Floripa. Natural de Santa Bárbara (MG), Jéssica jogou também no Xv de Piracicaba/SP (2017), Taubaté/SP (2017), Ipatinga/MG (2019), Tiradentes/PI (2020). No ano passado, ela foi trazida para o Açores, onde acabou tendo uma decepção. O clube não pagou nenhum centavo a nenhuma das contratadas, deixando uma péssima imagem do futebol de Floripa para o resto do País.

Gilmara Araujo Justino, 32 anos, volante, 1,66m de altura, natural de Angicos (RN). Começou no Caucaia (CE), onde atuou port seis anos. Em 2018, foilçevad para o Ceará, na Capital, onde permaneceu por quatro temporadas, até se transferir para o Internacional, em 2021. No clube gaúcho, não teve opoprtunidades e não chegou a atuar nenhuma vez. Agoa, no Avaí/Kindermann, Gilmara quer retomar seu bom futebol. Como profissional, tem 88 jogos oficiais, marcando seis gols.

Meias
Luana Marques dos Santos, 25 anos, meio campo, 1,60m. Natural de Campinas (SP), estava na Portuguesa (SP). Começou em 2016 no Guarani. Depois jogou no Valinhos (SP), Ponte Preta, Osasco/Audax, Palmeiras, Juventus, São José. Oficialmente tem 76 jogos disputados, e seis gols marcados, sendo quatro deles pelo Palmeiras, em 2019.

Vilma do Nascimento, 28 anos, meia.  Veio para o Avaí/Kindermann no ano passado especialmente para disputar a Copa Libertadores Feminina, onde teve bom desempenho e conquistou o torcedor, atuando em 20 jogos, com dois gols marcados (ambos contra o Botafogo pelo Brasileirão). No fim do ano, seguiu para o 3B da Amazônia, onde foi campeã amazonense, marcando seis gols. Nessa reformulação das caçadoras avaianas para 2022, Vilma é a única que de 2021 que retorna para o clube. Vilma é natural de Paulistana, no interior do Piauí, e se destacou pelo Tiradentes, melhor clube feminino do seu Estado, onde atuou também no Picos, Viana e Abelhas Rainhas. Fora do Piauí, havia atuado somente no Cresspom, em 2018, até vir para Santa Catarina em 2021.

Kamila Santos de Lima, 29 anos, meia canhota, 1,66m de altura, natural de Fortaleza (CE). Começou no Caucaia (CE), e depois atuou também no Sport (PE), Fortaleza, Ceará, JC (Manaus) e 3B da Amazônia, onde foi campeã amazonehse no final de 2021, atuando ao lado de Simeia e Vilma. Também pode atuar como lateral esquerda.

Atacantes:
Roqueline Santos do Rosário, 26 anos, atacante canhota, 1,81m. Natural de Salvador (BA), veio do Bahia. Cmeçou a carreira no Vitória, onde atuou por cinco temporadas. Em 2020, também atuou no 3B da Amazônia.

Celsa Fabiola Sandoval Barrientos, 22 anos, joga como meia esquerda. Estreou como profissional em 2016 no Deportivo Luqueño, do Paraguai. Depois pasosu pelo Libertad (PAR) e Colo-Colo (Chile). Em 2021, se transferiu para o Bahia, onde atuou em apenas seis jogos, marcando um gol. Pela seleção paraguaia, disputou o Mndial sub 17 em 2016, a Copa América e o mundial em 2018 e os Jogos Panamericanos em 2019, onde foi titular em quatro dos cinco jogos disputados pelo Paraguai, e marcou um gol, contra o México.

Michelle Cristina Gomes da Silva, 31 anos, atacante, estava no Ceará. Começou no América (RJ), em 2008. Depois, passou pela Ferroviária e São José (SP), onde atuou por nove temporadas, se tornando a atleta que mais vestiu a camisa do feminino do clube do interior paulista. Em 2020, teve uma rápida passagem pelo Flamengo, até se transferir para o Ceará, no mesmo ano. Oficialmente, Michelle disputou 130 partidas como profissional, marcando 46 gols.

Victória Thalita Alvarenga Dias, 21 anos, atacante.  Natural de Avaré (SP), estreou como profissional em 2020, no Taubaté, único clube que defendeu até hoje. Em duas temporadas, disputou 20 partidas e marcou 3 gols.

Fonte: Róbinson Gambôa
Foto: Róbinson Gambôa

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on google
Google+
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email