Estudo aponta a deterioração de 19 rodovias das regiões Oeste e Contestado

Análise foi desenvolvida pela FIESC e apresentada na cidade de Chapecó

A Federação das Indústrias de Santa Catarina (FIESC) apresentou nesta sexta-feira, 12, um novo estudo que avaliou a situação de 19 estaduais que cortam as regiões Oeste e Contestado. O encontrou aconteceu em Chapecó e reuniu lideranças industriais e políticas da região.

Com base nas análises foi constatada que a situação em boa parte dos trechos é de deterioração acelerada. O estudo, realizado pelo engenheiro Ricardo Saporiti, mostra que a falta de um programa de conservação e manutenção contínua das rodovias resulta em desgaste da malha, condição que exige elevados investimentos para restauração.

Na região do Contestado, a SC-135, de Porto União a Matos Costa, está em péssimo o estado de conservação e manutenção. O trecho de Matos Costa a Caçador, passando por Calmon, apresenta trincamentos e desagregações do pavimento em vários segmentos.

Em diversos trechos, a SC-350 apresenta trilhas de roda, trincamento e desagregação do pavimento, especialmente da BR-153 à Taquara Verde. A SC-350 é uma rodovia importante, pois faz a interligação das BRs-116 e 153.

Armadilhas no asfalto: o risco para quem percorre as rodovias de SC

O jornalismo da RBV Rádios produziu uma reportagem especial sobre a situação das rodovias da região Meio-Oeste de SC. 😰⚠Confira nesse vídeo uma prévia do trabalho, que contou com as nossas equipes da Rádio Barriga Verde, de Capinzal, da Rádio Caçanjurê, de Caçador, da Rádio Tangará, de Tangará, e das rádios de Videira, Rádio Videira e Rádio Vitória, de Videira. E você, o que acha da condição das nossas rodovias? Conta pra gente nos comentários. 😉

Posted by Rádio Caçanjurê on Friday, April 5, 2019

Ainda na região, o estudo registra a situação crítica em que se encontra a rodovia SC-477, no segmento que dá acesso de Major Vieira e Canoinhas à BR-116 em Papanduva. Já o pavimento da SC-355 no segmento entre Catanduvas e Jaborá está bastante degradado. Esta também é a situação da SC-390, no trecho de Machadinho a Piratuba.

Há anos a FIESC acompanha a situação das estradas catarinenses e alerta para a urgência de investimentos. As análises estimam que são necessários R$ 150 milhões por ano para manter os quase 5 mil quilômetros de rodovias pavimentadas e os 1,2 mil quilômetros não pavimentados que integram a malha estadual.

Fonte: Jornalismo Rádio Caçanjurê com informações da FIESC
Foto: Rádio Caçanjurê
Comentários
Carregando...