Mais de 20 anos de prisão por feminicídio em Jaraguá do Sul

Crime ocorreu no dia 5 de agosto de 2018. Marcelo Kroin matou a companheira asfixiada e foi detido quando procurava um local para ocultar o corpo que estava dentro do seu carro.

Denunciado pelo Ministério Público de Santa Catarina (MPSC), Marcelo Kroin foi condenado, nesta terça-feira (20/8), a mais de 20 anos de prisão pelo feminicídio de sua companheira, Andreia Campos de Araujo. Marcelo foi preso em Jaraguá do Sul no início de agosto de 2018 após cometer o crime, quando buscava um lugar para ocultar o corpo da vítima, que estava dentro do seu veículo.

De acordo com a denúncia apresentada pelo Promotor de Justiça Marcio André Zattar Cota, na madrugada do dia 5 de agosto, o réu aguardou a companheira voltar de um encontro familiar e, aproveitando-se da inferioridade física de Andreia, de forma intencional, investiu brutalmente contra ela, causando-lhe, além de variados ferimentos, a morte por asfixia.

Horas depois, utilizou o celular da vítima para simular o abandono do lar pela companheira, enviando falsa mensagem de despedida a ele próprio. Em seguida, cobriu o corpo de Andreia com um cobertor, colocou-o escondido em seu veículo, na garagem de casa, e foi procurar local para ocultá-lo, quando foi flagrado por Policiais Militares.

O Promotor de Justiça sustentou em plenário, ainda, que o crime foi praticado por meio cruel (asfixia), mediante recurso que dificultou a defesa da vítima e no contexto de violência doméstica e familiar (feminicídio).

O Tribunal do Júri da Comarca de Jaraguá do Sul considerou o réu culpado dos crimes imputados pelo Ministério Público – homicídio triplamente qualificado e tentativa de ocultação de cadáver. A pena aplicada foi de 20 anos e seis meses de reclusão em regime inicial fechado. A decisão é passível de recurso. (Ação Penal 0005243-41.2018.8.24.0036).

Fonte: Coordenadoria de Comunicação Social do MPSC
Foto: Marco Antônio Mendes/ NSC TV
Comentários
Carregando...