Morre aos 78 anos o empresário Augusto Francio

Dono da Frameport e Cidadão Honorário de Caçador, ele sofreu um AVC hemorrágico há duas semanas

Faleceu nesta sexta-feira, 20, em Caçador, o empresário Augusto Francio aos 78 anos. Proprietário da Frameport, uma das maiores empresas de madeira do município e do Estado de SC, ele estava internado há cerca de duas semanas após ter sofrido um AVC hemorrágico.

A morte de Augusto Francio foi confirmada por familiares. Ainda não foram divulgadas as informações sobre o velório.

Em 2009, Francio recebeu o título de Destaque Caçadorense, e em 2017 de Cidadão Honorário de Caçador.

Ligação com a Rádio Caçanjurê

Entre as décadas de 50 e 60, Francio ajudou na parte administrativa da Rádio Caçanjurê, quando a emissora pertenceu à igreja católica.

Augusto Antônio Francio

Nasceu no dia 16 de julho de 1943 em Cambé, Estado do Paraná. Filho de Luiz Caetano e Juliana Debertolis Francio, chegou a Caçador em 2 de novembro de 1949, acompanhado de seus pais.

Em 1950 foi alfabetizado no Colégio Nossa Senhora Aparecida. Conclui o Curso Primário no Grupo Escolar Professor Paulo Schieffler, em 1954.

De 1955 a 1958, concluiu o então Curso Ginasial no Colégio Aurora, que era dirigido pelos irmãos Maristas.

Casado com Zilda Brasil Francio, é pai de Ana Cristina, Maria Margareth, Viviane e Maria Fernanda, tendo ainda seis netos: Isadora, Leonardo, Melissa, Laura, Clarissa e Beatriz, além de genros.

Concluído a curso Ginasial, em 1º de dezembro de 1958, foi admitido como funcionário na empresa Sociedade de Indústrias e Construções Ltda., atual Sincol S.A Indústria e Comércio, nesta cidade.

Ao completar 18 anos de idade foi emancipado pelo seu pai para ser nomeado diretor da Sincol. Nela trabalhou até 31 de dezembro de 1978. Orgulha-se de ter grandemente contribuído para o desenvolvimento dessa importante empresa caçadorense.

Ao final de 1961 concluiu o Curso Técnico em Contabilidade na Escola Técnica de Comércio Caçadorense, anexa ao Colégio Aurora, também dirigida pelos Irmãos Maristas. Apenas duas semanas após, com o falecimento de seu pai, assumiu as responsabilidades de chefe de sua família, numa época de muitas dificuldades.

Em 1981 concluiu o Curso de Administração na FEARPE – Fundação Educacional do Vale do Rio do Peixe, mais tarde denominada UNC – Universidade do Contestado, da qual foi seu vice-presidente no período em que instituição passou a denominar-se UNIARP – Universidade Alto Vale do Rio do Peixe.

Em 20 de abril de 1979 liderou a fundação da Frame Madeiras Especiais Ltda – a Frameport – que, atualmente é a maior fabricante de portas de madeiras de Montantes e Travessas das Américas, talvez a maior do mundo. Com mais de oito mil itens diferentes produzidos em suas instalações, a Frameport vende a totalidades de seus produtos no mercado internacional.

Em 15 de fevereiro de 1980 fundou – nominando-a em homenagem à sua mãe – a Juliana Florestal Ltda., empresa especializada em reflorestamento, primeira empresa catarinense certificada pelo F.S.C Forest Stewardship Council, o selo verde internacional. Controlando mais de 12 mil hectares de terra a Juliana Florestal recupera, preserva e enriquece a vegetação nativa enquanto planta, cultiva e colhe florestas de pinus sobre mais de 7.500 hectares líquidos, garantindo o permanente fornecimento de matérias primas florestais à Frame Madeiras Especiais Ltda. Com isso o Grupo Frameport atingiu a sustentabilidade plena de suas atividades no longo prazo.

O grupo Frameport segue desenvolvendo métodos dinâmicos de administração, aplicando continuamente tecnologias modernas para a redução de custos, a melhoria constante do ambiente de trabalho, o treinamento técnico e social de seus colaboradores e a ampliação da sua participação nos mercados internacionais. O Grupo orgulha-se de contribuir amplamente no desenvolvimento florestal, econômico e social de Santa Catarina.

Augusto Antonio Francio esteve e está presente na comunidade caçadorense, auxiliando-a na estabilidade e manutenção das suas instituições, e contribuindo para o bem-estar da comunidade.

Há quinze anos a Frameport criou o  Projeto Pescar, que continua criando oportunidades aos jovens em risco social na comunidade caçadorense.

Ao longo da sua vida enfrentou muitas dificuldades e atravessou períodos econômicos alternadamente prósperos e depressivos, comuns nas atividades da base florestal da região. Continuou ativo à frente do Grupo Frameport, sempre orgulhoso de proporcionar oportunidades aos colaboradores da indústria.