Pesquisadora da Epagri de Caçador recebe premiação

Ela desenvolveu armadilhas artesanais de baixo custo para a captura de insetos-praga e venceu a categoria Reciclagem do 26º Prêmio Expressão Ecologia

A Epagri conquistou três troféus na 26ª edição do Prêmio Expressão de Ecologia, a maior premiação ambiental do País no segmento empresarial com reconhecimento do Ministério do Meio Ambiente. A entrega aconteceu nesta sexta-feira, 30, na sede da Fiesc, em Florianópolis.

Uma das premiadas foi da pesquisadora Janaína Pereira Dos Santos, da Estação Experimental de Caçador, com o projeto “Confecção de armadilhas artesanais de baixo custo para a captura de insetos-praga”. A iniciativa buscou reutilizar, adaptar, desenvolver e calcular os custos de armadilhas artesanais de baixo custo, confeccionadas com garrafas do tipo PET.

A solução da Epagri, feita com garrafas reutilizadas, pode ser usada para controlar os insetos de forma mais sustentável, evitando o uso excessivo, indiscriminado e exclusivo de agrotóxicos para o controle de pragas.

As armadilhas adesivas coloridas para insetos consistem em superfícies de coloração amarela ou azul impregnadas com uma substância adesiva. O uso está baseado em estudos que indicam que os comprimentos de onda emitidos por determinadas superfícies coloridas atraem diferentes espécies de insetos.

Confira a reportagem da jornalista Andrielli Zambonin, da Rádio Caçanjurê.

O prêmio se propõe a divulgar ações ambientais de empresas da região Sul do Brasil e incentivar que outras sigam o mesmo caminho.

Outros projetos da Epagri que foram premiados

Apicultura conectada

Na categoria Agropecuária, a Epagri venceu com o projeto “Uso de tecnologias digitais para preservação das abelhas e fortalecimento da apicultura como geração de renda e preservação ambiental”. O projeto desenvolveu a plataforma digital Apis On-Line (ciram.epagri.sc.gov.br/apicultura/), que fornece informações em tempo real para a cadeia produtiva.

O Apis On-Line reúne dados coletados por seis unidades apícolas de referência, que são colmeias conectadas a estações agrometeorológicas que medem chuva, molhamento foliar, temperatura, umidade relativa do ar e outras variáveis. Sensores instalados dentro da colmeia medem temperatura e umidade do ar e uma balança de precisão pesa o mel produzido. Os dados são transmitidos automaticamente e inseridos na plataforma. Com base neles, os pesquisadores podem observar quais condições meteorológicas influenciam a produção de mel.

A iniciativa permitiu difundir informações estratégicas para mais de 17 mil usuários entre 2017 e 2018. O projeto envolveu pesquisadores, extensionistas, apicultores, meliponicultores, associações e indústrias.

Erva-mate com identidade

O projeto “Indicação geográfica da erva-mate do Planalto Norte Catarinense” foi premiado na categoria Manejo Florestal Sustentável. Nessa região, a erva-mate é produzida em sistema agroflorestal, contribuindo para a manutenção de grande parte da floresta de araucária. A Epagri se uniu a outras instituições para pleitear uma indicação geográfica (IG) para esse produto.

A IG é uma certificação, concedida pelo Instituto Nacional de Propriedade Industrial (INPI), que garante que um produto só tem aquelas propriedades porque é influenciado por características ambientais ou culturais de determinada região. O projeto da Epagri realizou estudos que subsidiaram o dossiê para o pedido da IG, cujo processo está em andamento.

Fonte: Jornalismo Rádio Caçanjurê
Foto: Divulgação
Comentários
Carregando...