Rádios RBV

Menu

Câmara de Rio das Antas votará pedido de cassação do vereador Edissir Soligo

Sessão de julgamento será realizada nesta terça-feira (21), a partir das 13 horas, no plenário da Câmara de Vereadores de Rio das Antas.

Fonte:
Assessoria de Comunicação/Portal Agora SC

A Câmara de Vereadores de Rio das Antas realiza na terça-feira (21), a partir das 13 horas, a sessão de julgamento do pedido de cassação do vereador Edissir José Soligo (PL). O pedido é baseado em denúncia que afirma que Soligo possui terreno concedido pela prefeitura, o que o impede de exercer o cargo de vereador por ter esse benefício concedido pelo bem público, pois descumpre o artigo 44, inciso II, alínea “a” da Lei Orgânica do Município.

PARTICIPE DO NOSSO GRUPO NO WHATSAPP E RECEBA NOTÍCIAS

A lei diz que “o vereador não poderá desde sua posse ser proprietário, controlador ou diretor de empresa que goze de fator decorrente de contrato com pessoa jurídica de direito público”. Assim, não poderia ser beneficiado por uma sessão de uso de bem público e ao mesmo tempo exercer o mandato de vereador. 

- Publicidade -

A denúncia foi levada à votação no plenário no dia 5 de setembro. Após votação nominal, os vereadores decidiram por unanimidade pelo recebimento da denúncia. Através de sorteio foi composta a Comissão Processante com o vereador Mário Vian (MDB) como presidente, Ivan Régis Dallazen (PSDB) como relator e Benno Jacobczynski (MDB) como membro.

Com o encerramento da instrução processual, havendo as intimações legais, abertura e cumprimento de prazos, oitiva do denunciado e de testemunhas, junção de provas, apresentação das alegações finais pelo procurador do denunciado e apresentação do relatório final, a denúncia será novamente exposta ao plenário para a sessão de julgamento do pedido de cassação do parlamentar. 

Na sessão de julgamento, o relatório será lido, seguido por um prazo de até duas horas para a defesa se manifestar. Não haverá debates, apenas um prazo de 15 minutos para cada vereador que desejar justificar seu voto. Para a cassação, é necessária a maioria qualificada de 2/3 da Câmara, ou seja, seis votos. Independentemente do resultado, a presidência da Câmara enviará o relatório completo à Justiça Eleitoral.

Tramitação

Quando a denúncia foi posta em votação no dia 5 de setembro em plenário, o próprio denunciado, vereador Edissir Soligo votou e pediu aos demais vereadores que votassem favoravelmente à investigação legislativa. Desde então, foram obedecidas todas as fases do processo, com prazos e direito à ampla defesa. 

A defesa pugnou pela ilegitimidade da denúncia argumentando que a mesma somente poderia ser feita por vereador, e, ao final pediu o arquivamento da denúncia, o que foi refutado pela maioria dos membros da comissão, com base no artigo 5º, Inciso I, do Decreto Lei 201, de 27 de fevereiro de 1967.

Além da oitiva do denunciado, também foram ouvidas testemunhas de defesa. Inicialmente foram oito, mas a defesa optou pela dispensa de alguns, além da defesa prévia realizada pelo procurador do denunciado. Tomados os depoimentos, a comissão abriu prazo para alegações finais, o que ocorreu na forma da Lei.

Veja também

Prefeitura de Videira define plano de recuperação

Palestra sobre Manejo e Implantação de Vinhedos de Altas Produtividades

Unimed destaca a importância do Novembro Azul para a saúde masculina

O relator da comissão, vereador Ivan Dallazen, apresentou o relatório final se posicionando pelo arquivamento da denúncia, sendo que os demais membros optaram pela apresentação de um relatório substitutivo, sendo o mesmo aprovado por dois votos a um, enquadrando o vereador Edissir Soligo no artigo 44, inciso II, alínea “a”, da Lei Orgânica do Município.

Resumidamente, a lei na qual se baseia o relatório diz que o vereador não pode utilizar um terreno público, onde tem uma empresa, ou seja, tem remuneração, e ao mesmo tempo exercer o mandato de vereador. Inclusive, no ato da posse como vereador, deveria declarar a existência da cessão de uso de bem público, e não declarou, omitindo a informação. Estão sujeitos à mesma lei prefeito, vice e demais vereadores, sendo obrigados a declarar.

O que dizem os membros da Comissão Processante

O presidente da Comissão Processante, vereador Mário Vian, diz que “foi um processo feito totalmente dentro da legislação, sem nenhum entrave, que mostra a verdade dos fatos e, que por isso, nos posicionamos pela aprovação do relatório substitutivo. Independentemente do resultado que possa ocorrer na sessão de votação, é muito importante que a população rioantense conheça a verdade dos fatos, não a verdade que inverte os fatos para deles se beneficiar”, disse.

O vereador Benno Jacobczynski, membro da Comissão Processante, destacou estar tranquilo quanto ao trabalho realizado. “Tudo foi feito às claras, com o denunciado e sua defesa tendo seu espaço para ampla defesa. Quando ao processo em si, recordo que o próprio denunciado usou a tribuna da Câmara para pedir aos colegas que votassem favoráveis à abertura da investigação. Há provas documentais e de testemunhas que mostram o que devemos fazer e eu, conhecedor dos fatos, votarei com a consciência tranquila”.

O vereador Ivan Dallazen, relator da Comissão Processante, e que teve seu relatório vencido, foi procurado pelo Portal Agora SC para se manifestar, mas não enviou seu posicionamento. Todavia, o espaço está aberto para que o mesmo se manifeste.

fafaa

Participe do grupo no Whatsapp do Portal RBV e receba as principais notícias da nossa região.

*Ao entrar você está ciente e de acordo com todos os termos de uso e privacidade do WhatsApp

Últimas Notícias

Suspeito de matar namorada grávida em Videira é denunciado

Um crime hediondo cometido em 5 de abril deste...

Cigarro eletrônico tornou-se um dos problemas do século XXI

O cigarro eletrônico tornou-se um dos problemas do século...

Previsão do Tempo: Santa Catarina com predomínio do sol

A previsão do tempo para Santa Catarina nesta quarta-feira...

Tempo seco e frio demanda mais cuidados com a pele e cabelos

O tempo seco e frio demanda mais atenção e...

Justiça determina exumação para confirmar que filhos sepultaram o corpo da mãe

A Justiça determinou exumação para confirmar que filhos sepultaram...

Mais Lidas da semana

Caminhão capota e colide em pinheiro na SC-355

Um caminhão caçamba capotou e colidiu em um pinheiro...

Aposta de Caçador fatura R$ 91 mil na Mega Sena

Uma aposta realizada em Caçador faturou R$ 91 mil...

Acidente de trânsito em Videira deixa danos materiais

Na manhã desta terça-feira (04), por volta das 06h...

Morre vítima de acidente ocorrido no domingo (02) na SC-355

Na manhã da segunda-feira (03), morreu a vítima de...

Morre idosa que ficou ferida após van da saúde tombar na SC-135

Na tarde da quinta-feira (30) morreu a idosa que...

Outros Tópicos Interessantes