Celesc reforça importância da economia de energia dentro da campanha nacional

Medidas simples podem economizar eletricidade e evitar que a escassez hídrica acarrete um aumento excessivo na fatura de luz. Por meio de campanhas periódicas que alertam para o desperdício de energia e incentivam o uso consciente e sustentável, a Celesc investe na orientação da população para a mudança de hábitos diários que impactam no consumo de luz e contribuem para a garantia do fornecimento de energia elétrica do país.

Realizadas anualmente, as campanhas de economia de energia da distribuidora catarinense são reforçadas nas temporadas de verão e inverno, quando o uso de aparelhos domésticos apresenta alto consumo energético. Em 2021, essas iniciativas coincidiram com o que especialistas consideram a pior crise hídrica dos últimos 91 anos.

Desde o fim do ano passado, o volume de chuvas registrado em algumas regiões do país tem ficado abaixo da média histórica para o período, afetando reservatórios de água e, consequentemente, a produção hidrelétrica, exigindo o acionamento do parque termelétrico, o que encarece a produção.

Com a intenção de unir esforços para que todos contribuam com a segurança do fornecimento de energia elétrica nesse momento delicado, o Ministério de Minas e Energia (MME), a Agência Nacional de Energia Elétrica (ANEEL), a Associação Brasileira de Distribuidoras de Energia Elétrica (Abradee) e suas associadas, lançaram a campanha nacional “Consumo Consciente Já”, veiculada nos canais oficiais da Celesc, emissoras de rádio, TV e mídias digitais, contendo dicas simples, mas efetivas, para que a população possa contribuir com essa importante causa para todos.

Veja mais informações em Consumo Consciente Já, site oficial da ação.

O governo federal também anunciou o lançamento do Programa de Redução Voluntária do Consumo, que dará R$ 0,50 de desconto a cada quilowatt-hora (kWh) do volume de energia economizado dentro da meta de 10% a 20%. A comparação será feita com base no somatório do consumo entre setembro e dezembro de 2021, na comparação com a soma das mesmas quatro faturas de 2020. Uma vez feita essa comparação, se houver uma redução no consumo de 10% ou mais, o governo creditará o desconto na conta de janeiro de 2022.

 

 

Com informações do Governo de Santa Catarina