Rádios RBV

Menu

Entidades analisam as altas taxas dos cartórios catarinenses

Fiesc, Creci/SC e especialista em direito notarial analisaram os aumentos de taxas de cartórios, que em SC superaram os 300% nos últimos 5 anos

Fonte:
ND Mais

Em reunião fechada, entidades analisam as altas taxas dos cartórios catarinenses. A CDIC (Câmara de Desenvolvimento da Indústria da Construção), da Fiesc (Federação das Indústrias do Estado de Santa Catarina), realizou reunião na ultima quinta-feira (20), que abordou este assunto.

PARTICIPE DO NOSSO GRUPO NO WHATSAPP E RECEBA NOTÍCIAS

O assunto surgiu após reportagens produzida pelo Núcleo de Dados e Investigação do Grupo ND, mostrando que no ano passado os 583 cartórios do Estado arrecadaram R$ 1,28 bilhão.

- Publicidade -

O presidente da CDIC, Marcos Bellicanta; o superintendente do Creci/SC (Conselho Regional de Corretores de Imóveis), Alcides Andrade; e o advogado especialista em direito notarial e registral, Rodrigo Ferrari, analisaram os números do “Raio X dos Cartórios”, que apontaram que as taxas passam por reajustes anuais que, em alguns casos, podem superar a inflação.

Em 2024 elas já tiveram reajustes graças ao Projeto de Lei Complementar 38/2023, que entrou em vigor em abril, e altera a Lei Complementar 755/2020, que trata dos emolumentos, taxas cobradas pelos cartórios, em Santa Catarina.

A CDIC, a Federação e o Creci contrataram um advogado renomado no setor imobiliário para fazer estudo sobre a evolução dos preços e das cobranças dos registros de imóveis. A preocupação é que isso possa trazer informalidade para o setor, que precisa cada vez mais se formalizar.

Veja também

Cartórios lançam autorização eletrônica para doação de órgãos

Aberta a consulta ao segundo lote de restituição do IRPF 2024

“Houve um aumento muito grande desses valores, tanto no valor unitário quanto na forma de como está sendo feita a cobrança. Tem certos atos que subiram 350% nos últimos cinco anos. A população acaba sendo prejudicada, porque não vai mais fazer aquele ato no registro”, observa Bellicanta.

A ideia, segundo ele, é construir uma proposta e encaminhar para a Alesc e para o Tribunal de Justiça, por meio da Corregedoria.

“Seremos propositivos para que sejam revistas taxas e que a gente possa efetivamente construir com a indústria, com o Creci, com a OAB, e também com o TJ e com os deputados. As cobranças nos parecem descabidas. A evolução dos valores passou a ser desproporcional em relação à realidade econômica da população”, destacou.

A versão final da proposta será entregue dia 26 deste mês e, após revisão, encaminhada aos órgãos competentes.

Aumento de taxas dos cartórios pode prejudicar o setor da construção

O aumento das taxas de emolumentos dos serviços para registros de imóveis no Estado preocupa a Facisc (Federação das Associações Empresariais de Santa Catarina), que emitiu ofícios ao Tribunal de Justiça e à Assembleia Legislativa pedindo atenção ao tema.

De acordo com análise do Centro de Inteligência e Estratégia da entidade, a maior parte dos valores foi acima da inflação e muito maior que os preços praticados em outros Estados das regiões Sul e Sudeste – o que traz prejuízos ao setor da construção, especialmente à construção de edifícios.

“Desde a pandemia o setor já vem sofrendo com o aumento dos preços dos seus insumos. E é importante que tenha condições favoráveis para produção e geração de emprego. Sem contar que a alta é um incentivo à informalidade nas operações imobiliárias”, avalia o vice-presidente da Facisc no Vale do Itajaí e empreendedor na área, Rinaldo Araújo.

O estudo da Facisc analisa os emolumentos para registro de imóveis desde 2017 praticados em Santa Catarina, São Paulo, Rio de Janeiro, Minas Gerais, Espírito Santo e Rio Grande do Sul. A análise apurou que averbações com conteúdo econômico, como a escrituração de uma construção, cresceram 89% em Santa Catarina.

Já em SP, RS, ES e RJ tiveram aumento de 43%. Para se ter ideia, a emissão de certidões de atualização da situação jurídica do imóvel (quando há alterações de direitos e restrições sobre algum imóvel) aumentou 417%, entre 2017 e 2024.

Portal RBV nas redes sociais

YouTube

Facebook

Instagram

TikTok

Participe do grupo no Whatsapp do Portal RBV e receba as principais notícias da nossa região.

*Ao entrar você está ciente e de acordo com todos os termos de uso e privacidade do WhatsApp

Últimas Notícias

Falta de espaços para sepultamentos em Caçador será debatida

A Câmara Municipal de Caçador promove na próxima terça-feira...

Cigarrinha do milho é tema de evento da Comissão de Agricultura

A cigarrinha do milho foi tema de evento da...

Estado autoriza retomada do contorno viário de Rio das Antas

O governador em exercício Mauro de Nadal assinou, nesta...

Safra de maçã encerra com produção quase 24% menor em SC

A safra de maçã encerrou com produção quase 24%...

Curitiba tem o menor bonsai de araucária do mundo

O bonsaísta Renato Hoenig fez o que parecia impossível...

Mais Lidas da semana

Carreta com toras tomba e deixa cinco feridos na SC-350

Em Lebon Régis, uma carreta com toras tombou e...

Feto é encontrado em banheiro em Caçador

Um feto foi encontrado no banheiro da Rodoviária de...

Polícia investiga e nega que feto tenha sido encontrado em Caçador

Denúncias informaram que um feto havia sido encontrado em...

Bebê de 16 dias morre em acidente de trânsito

Um bebê de 16 dias morreu em acidente de...

Jovem com “a pior dor do mundo” faz vakinha para fazer eutanásia

Uma jovem brasileira está promovendo uma vakinha virtual para...

Outros Tópicos Interessantes