Região da AMARP segue no nível grave na matriz de risco do Estado

Santa Catarina segue com 12 regiões com nível de risco grave e 4 com risco alto para coronavírus, aponta o novo mapa atualizado semanalmente pelo Governo do Estado. A atualização foi divulgada pela Secretaria de Estado de Saúde (SES) nesta quinta-feira (15).

Em relação à semana passada, duas regiões tiveram mudanças no mapa de risco. A região do Alto Vale do Itajaí, que estava com risco grave, melhorou a situação e passou para o risco alto. Já a Serra Catarinense piorou a situação, passando do nível de risco alto para o grave. As demais regiões continuaram com a mesma classificação da semana anterior, como é o caso da AMARP, classificada no nível grave. O mapa leva em conta dados de transmissibilidade do vírus, leitos vagos e aumento de casos ativos.

A dimensão capacidade de atenção mostra o uso das unidades de terapia intensiva das regiões, que é a principal forma de atenção aos casos graves. De todos os casos suspeitos, em torno de 30% deles foram conformados, sendo que houve um aumento na quantidade de casos ativos de uma semana para outra, passando de 7.293 para 7.440.

A próxima reunião virtual dos prefeitos da AMARP para discutir possíveis novas flexibilizações acontece na próxima quinta-feira (22) a partir das 13h30.

Com a nova atualização do mapa, estão com risco grave (em laranja no mapa) para a Covid-19 as seguintes regiões: Extremo Sul, Carbonífera, Laguna, Grande Florianópolis, Serra Catarinense, Foz do Rio Itajaí, Nordeste, Planalto Norte, Alto Vale do Rio do Peixe, Meio Oeste, Alto Uruguai Catarinense e Extremo Oeste.

Já as quatro regiões que estão em risco alto (em amarelo no mapa) são: Oeste, Xanxerê, Alto Vale do Itajaí e Médio Vale do Itajaí.

 

 

 

Estado de calamidade pública é prorrogado em SC

 

O estado de calamidade pública por conta do coronavírus foi prorrogado em Santa Catarina. A decisão está no Diário Oficial do Estado (DOE) de quarta-feira (14). O ato prevê a extensão da condição até 31 de dezembro de 2020. O texto assinado pelo governador Carlos Moisés da Silva é um aumento do decreto 562/2020, que havia estabelecido o prazo inicial de seis meses desde 17 de abril.

As decisões estabelecidas pela secretaria de Saúde passam diretamente pelo estado de calamidade pública. Além de servir como balizador para os prazos, o decreto também possibilite que o Estado agilize contratações durante o período da pandemia.

O texto da regulamentação 562/2020 traz as regras gerais para o enfrentamento à doença em SC. Desde a sua primeira edição, o governo fez diferentes atualizações como a inclusão do mapa de risco e das cores que permitem a reabertura das atividades conforme a situação de cada região.

 

VEJA TAMBÉM