Leite passa de R$ 7 ao consumidor, mas lucro do produtor é cada vez menor

Entre os fatores que influenciam no encarecimento do leite estão o aumento no custo de produção, menor oferta e maior procura

Prévia da inflação do mês de junho, segundo o IBGE, já supera os 12%, e comprar os itens básicos de cada dia está ficando cada vez mais difícil. Os preços dos produtos nos supermercados não param de subir e viraram o principal assunto nas rodas de conversas.

Tudo está muito caro, mas o que mais vem chamando a atenção é o preço do leite que no final do mês de junho chegou aos R$ 7,00 com registros de até R$ 8,00 em supermercados pelo interior de Santa Catarina.

Para os supermercadistas Gilberto Zarpelon e Jairo Miozzo, são diversos os fatores para esse aumento. Em apenas uma semana, os preços do leite subiram duas vezes e o que o supermercado faz é apenas repassar ao consumidor o aumento de preço que chega ao estabelecimento, ou seja, o empresário não está ganhando mais com esse aumento.

A explicação para o aumento expressivo do preço, além do custo de produção elevado com os insumos cada vez mais caros, está relacionada principalmente à sazonalidade, com a redução nas áreas de pastagens e aumento do consumo por parte da população, ou seja, menor oferta versus maior procura, elevando o preço, uma tendência básica do mercado.

Já o produtor José Paulo Seco afirma que recebe cerca de R$ 2,40 por litro, um terço do preço vendido para o consumidor e que ele, assim como outros produtores da bovinocultura de leite, estão pagando para trabalhar.

José Machado, consumidor, afirma que o preço está muito alto e que está comprando menos para tentar adequar ao orçamento. Isso está fazendo as pessoas repensarem o consumo e buscarem alternativas.
Confira na reportagem:

Fonte: RBV Notícias
Foto: Divulgação