Novo RG: sistema tem 300 inconsistências de dados na primeira semana de emissões

Neste período, a documentação já foi solicitada 10 mil vezes.

O sistema integrado que cruza dados de Santa Catarina a dados da Receita Federal identificou 300 inconsistências nas solicitações para a emissão do novo documento de identificação válido no Estado. A documentação, que contém apenas um número para o RG e CPF, foi solicitada 10 mil vezes na primeira semana de operação do serviço.

No último dia 08 de novembro, quando o novo RG foi lançado, 27 inconsistências já haviam sido detectadas. Porém, o Instituto Geral de Perícias de Santa Catarina (IGP) afirma que ainda não é possível definir a natureza das inconsistências.

— Podem ser duplicidades, pode ser que um indivíduo tenha mais de um CPF cadastrado e, claro, podem ser tentativas de fraudes — explica a assessoria de imprensa do órgão.

 

 

Santa Catarina foi o primeiro Estado brasileiro a adotar o novo modelo de documentação e a expectativa é dificultar cada vez mais as falsificações e fraudes por meio de diferentes etapas de verificação, além de evitar a possibilidade de uma pessoa ter até 27 Carteiras de Identidade oficiais no Brasil, com números diferentes.

— Temos um ganho significativo no combate e eliminação de fraudes — afirma o diretor de Identificação do IGP, perito criminal Fernando de Souza.

Segundo o Governo do Estado, os documentos atuais não perdem a validade, por esse motivo a população não precisa buscar o documento com número unificado imediatamente.

As pessoas que quiserem solicitar o novo RG junto ao IGP devem apresentar a certidão de nascimento, se forem solteiras, ou a certidão de casamento, se forem casadas, além do número do CPF e comprovante de residência.

As pessoas que já têm o documento de identificação emitido em Santa Catarina não vão perder a numeração. Segundo o IGP, o número antigo da Carteira de Identidade será impresso na parte interna do documento para que o cidadão possa apresentá-lo em caso de necessidade. Os atuais números de RG devem entrar em desuso gradualmente.

Fonte: NSC
Foto: Divulgação

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on google
Google+
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email