Informação é aqui!

‘Criar novas regras não faz sentido’, diz secretário de Saúde diante de piora da pandemia em SC

Secretário reforçou que o Estado acompanha a situação dos municípios e realiza interferências quando solicitado.

 O secretário de Estado da Saúde, André Motta Ribeiro, descartou a adoção de novas regras de combate à pandemia da Covid-19 em Santa Catarina. Em entrevista ao SC no Ar, da NDTV, na manhã desta segunda-feira (10), o secretário voltou a dizer que, por ora, o Estado não pretende aplicar medidas mais rígidas do que as que já estão em vigor.

“O que tínhamos de colocar de regras, já colocamos. As portarias da Saúde são muito claras. Não há nada de novo por enquanto. Criar novas regras, se as que já estão postas não são cumpridas, não faz sentido”, argumentou.

Questionado sobre os recorrentes flagrantes de aglomeração observados em festas privadas em paralelo ao cancelamento de eventos públicos, como o Carnaval, André Motta defendeu a corresponsabilidade entre Estado e municípios na gestão da pandemia.

“A regra é para todos, tanto o setor público, quanto o privado. Somos muito claros. O promotor de eventos tem que seguir os protocolos e apresentar um plano de contingência ao município. Autorizando o evento, o município tem que fiscalizar e monitorar. As pessoas precisam entender que estamos no meio de uma pandemia. É preciso seguir os protocolos e não aglomerar sem observar os critérios”, alertou.

O secretário reforçou que o Estado acompanha a situação dos municípios e realiza interferências quando solicitado.

Casos ativos em alta

Durante a entrevista, o chefe da Saúde também comentou sobre o aumento de casos ativos da Covid-19 em Santa Catarina.

Em apenas 24 horas, foram confirmados 1.348 novos casos, conforme o boletim epidemiológico divulgado neste domingo (9). Já são 19.685 pessoas infectadas e com potencial de transmitir a Covid-19. Outros 4.717 testes estão em análise no Lacen. Apesar disso, nenhuma morte por conta da doença foi contabilizada neste período.

André Motta listou três pontos que devem ser levados em consideração diante desse cenário. O primeiro foi a importância da vacinação contra o coronavírus. A manutenção das medidas de combate ao contágio também foram destacadas.

“Precisamos continuar usando a máscara e manter o distanciamento social. Precisamos, ainda, ter um olhar atento e monitorar o aumento de casos ativos. Felizmente, [o aumento de casos] não se traduziu ainda na mesma proporção em gravidade”, completou o secretário sobre o baixo de número de internações pela Covid-19.

“A regra é para todos, tanto o setor público, quanto o privado. Somos muito claros. O promotor de eventos tem que seguir os protocolos e apresentar um plano de contingência ao município. Autorizando o evento, o município tem que fiscalizar e monitorar. As pessoas precisam entender que estamos no meio de uma pandemia. É preciso seguir os protocolos e não aglomerar sem observar os critérios”, alertou.

O secretário reforçou que o Estado acompanha a situação dos municípios e realiza interferências quando solicitado.

Casos ativos em alta

Durante a entrevista, o chefe da Saúde também comentou sobre o aumento de casos ativos da Covid-19 em Santa Catarina.

Em apenas 24 horas, foram confirmados 1.348 novos casos, conforme o boletim epidemiológico divulgado neste domingo (9). Já são 19.685 pessoas infectadas e com potencial de transmitir a Covid-19. Outros 4.717 testes estão em análise no Lacen. Apesar disso, nenhuma morte por conta da doença foi contabilizada neste período.

André Motta listou três pontos que devem ser levados em consideração diante desse cenário. O primeiro foi a importância da vacinação contra o coronavírus. A manutenção das medidas de combate ao contágio também foram destacadas.

“Precisamos continuar usando a máscara e manter o distanciamento social. Precisamos, ainda, ter um olhar atento e monitorar o aumento de casos ativos. Felizmente, [o aumento de casos] não se traduziu ainda na mesma proporção em gravidade”, completou o secretário sobre o baixo de número de internações pela Covid-19.

Para ele, a vacinação tem tido um efeito positivo nesse sentido. “Percebemos que uma sociedade com proteção imunológica tende a diminuir a potência e até a velocidade do vírus, apesar do impacto da Ômicron. Sem dúvida nenhuma, o percentual de vacinados nos traz mais tranquilidade, por isso, insistimos tanto nisso”, disse.

De acordo com o painel de monitoramento, atualizado na manhã de domingo, a taxa de ocupação dos 642 leitos ativos de UTI para pacientes com Covid-19 é de 29,7%.

Insumos garantidos

André Motta garantiu, ainda, que o Estado tem insumos suficientes para o enfrentamento da pandemia, como testes e vacinas.

“Na semana passada, distribuímos meio milhão de testes para os municípios e vamos distribuir mais. O Ministério da Saúde garantiu uma nova remessa. Tudo que chega ao Estado, entre vacinas e testes, é distribuído aos municípios em até 24 horas”, observou.

Fonte: ND+
Foto: Divulgação

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on google
Google+
Share on email
Email